Caráter Cristão

um protagonista?

2 novembro, 2018

Enquanto lê, ouça ‘Holy Ground’ (acoustic version) – Jeremy Riddle (ouça aqui)

Após alguns dias bem trabalhosos, estava eu em uma das minhas manhãs a ler a Bíblia, quando ao ouvir a voz da minha mãe na cozinha, o Espirito Santo sussurrou: ore pelos sonhos da minha filha, ela é protagonista.

E a dias eu desejava deixar alguns escritos sobre o que Ele sussurrou em meus ouvidos naquela manhã. Então, aqui estamos nós para mais um texto.

É impressionante como o nosso modo de viver tem nos colocado em uma posição como se fossemos O protagonista e todos os outros, que continuamente estão inseridos em nossa vida, fossem coadjuvantes. Não me refiro a minha mãe de forma alguma, mas aos sentimentos de superioridade que costumamos dar as nossas promessas, ou aos nossos sonhos, como se fôssemos os únicos dignos de receber aquilo que de maior exista nas mãos de Deus, e isto tem nos furtado a beleza de ver a cena com seus infinitos protagonistas.

Acreditar, unicamente, nos próprios sonhos cegou nossos olhos de tal forma, que desconsideramos, mesmo que inconscientemente, os sonhos e promessas imensos que o Pai possui para as pessoas que cruzamos na rua, no ônibus, no banco, na fila da padaria.

Todos somos protagonistas.

Além do nosso umbigo, existem lindos sonhos que o Pai planejou antes mesmo da fundação do mundo para aqueles que não gostamos tanto, ou que de alguma forma ou por algum motivo não gostaríamos que fossem abençoados com uma linda história.

Essa tristeza de ver a incrível história do outro é resultado de um modo de viver onde eu me amo de tal forma que tudo aquilo que vier a ameaçar a minha busca pela felicidade é ruim. Onde Deus se torna refém das minhas expectativas individuais, onde em sua maioria busco meus próprios interesses em detrimento daquilo que seria a expectativa do reino.

Não saber conviver com outros protagonistas é não ter compreendido o plano de Deus para a humanidade.

Somos parte de uma grande cena, e nesta cena, histórias se cruzam, propósitos se consolidam, sonhos são enterrados, Deus interfere para o nosso bem, somos abatidos, somos levados ao pó, mas o final desta cena precisa nos levar a reconhecer que as pessoas ao nosso redor, dos recém-nascidos aos mais velhinhos, possuem uma história, e se de alguma fomos inseridos nela, precisamos clamar a Deus para que Ele nos auxilie a sermos bons coadjuvantes, cooperando com o brilho do outro protagonista.

Olhar as pessoas que cruzam nossas histórias, de forma positiva ou negativa, talvez seja uma arte, e diga-se que o diretor estar atento aos detalhes da cena, e Ele sabe aqueles desejos ruins que tem ocupado nossa alma, e Ele quer nos conduzir a um lugar onde preferimos deixar de ser protagonista e se esvaziar e acreditar na lindíssimas promessas que Ele cumprirá, em detalhes, na vida daquele que nos feriu, que nos machucou, que nos humilhou, que não acreditou nossos sonhos.

A história da trajetória da vida possui muitos protagonistas.

Seja qual for o nosso papel na história dos outros, sejamos os primeiros a acreditar nas promessas de Deus que vão além dos nossos umbigos.

Ele a todos ama, e a todos quer salvar, sejamos imitadores dEle, pois a vida logo passará e apenas o que foi feito por Cristo permanecerá.

Com amor em Cristo Jesus!

Priscilla Patricio.

Comentários

You Might Also Like

No Comments

Leave a Reply