Sobre o amor Testemunho

um coração precipitado

16 novembro, 2019

Enquanto lê, ouça “Por onde for” – Lorena Chaves (ouça aqui)

Faltam alguns meses para o dia do meu casamento, e nesta ultima semana me vi a lembrar do meu precipitado coração. Parece algo tão distante, tão no passado, tão diferente do coração que hoje ama meu querido noivo Jordson.

Compartilhar minha singela experiência possui como única finalidade acalmar seu coração e conduzi-lo ao descanso dos cuidados do seu Pai, que conhece o futuro, e já planejou cada um dos seus dias.

Fui uma garota intensamente precipitada, de conclusões sentimentais imediatas e de longas paixões que nunca se tornaram sequer um relacionamento. Costumava regar o sentimento sozinha. E apegada aos sonhos que meu coração já havia feito, eu insistia em oração, para que Deus sonhasse com aquilo que para mim já era real.

Como nunca gostei de mudanças, permanecer em um sentimento que me tornava sempre mais dependente, sempre mais ansiosa, parecia confortável, pois eu não precisava alterar nada, tudo poderia permanecer no mesmo lugar. E para quem possui inúmeros compromissos, estava tudo bem.

Até que em uma das minhas orações por minha futura família, lembro que Deus me conduziu a escrever uma carta, e na frente e no verso de uma folha de papel, escrevi algumas palavras ao meu esposo. Meu coraçãozinho precipitado explodiu de fé, e as lágrimas escorreram até os meus joelhos ao chão. Aquele sentimento que só me conduzia a um coração ansioso era minha meta de abandono. Decidi caminhar ao desconforto.

Aquela oração me conduziu a dias de desconforto emocional,  já não conseguia desabafar com ninguém, havia medo, incerteza, noites mal dormidas, meus cadernos não me deixam mentir, aquele coração precisava morrer. Chorava para o único que conseguia me entender: nosso Pai.

E naqueles dias cinzentos, de morte do meu eu sentimental, decidir enxugar cada lágrima que teimava em vir aos meus olhos, e servir a Jesus. Lembro que, neste período, durante o dia, eu caminhava horas para falar sobre o amor de Jesus, e a noite eu chorava em oração pela morte do meu coração precipitado.

Até que morreu.

Deus reconstruiu meu coração! O amor já não escapava aos meus dedos. O amor já não estava em solitude. O amor já estava guardado nas mãos do meu Pai.

Na turbulência da minha morte sentimental, reencontrei uma voz. Uma voz que decidiu interceder pelo meu coração. Que conhecendo cada uma das minhas cicatrizes, acreditou que a calmaria iria chegar. E esta voz, sustentou meu olhar e já não quis dizer adeus.

Um reencontro sem ansiedade, sem pressa, sem solitude.

Deus aconchegou nossos corações, e o que já parecia luto se tornou em riso. Os dias escritos pelo autor daquele sentimento, que nos pegou desprevenidos, parecia ser incompreensível. Um amigo que sempre me emprestava seus ouvidos e seu sábio coração, agora terá meus ouvidos para compartilhar as risadas que nosso Pai já planejou, e meu coração para amá-lo por onde for.

Que as muitas lágrimas destes dias que vivi sejam esperança para seu coração.

Com amor em Cristo Jesus.

Priscilla Patricio.

Comentários

You Might Also Like

No Comments

Leave a Reply